Germinados na alimentação viva

Germinados na alimentação viva

Alimentação Viva vem cada vez mais atraindo pessoas interessadas em uma dieta energizante (https://www.brotofacil.com.br/blog/30_os-brotos-de-alfafa-fazem-bem-para-a-saude.html), antioxidante, curativa e de baixas calorias. Baseada em vegetais não cozidos, a dieta plant based,estimula o consumo de sementes germinadas e brotos, alimentos Biogênicos, por sua riqueza em vitaminas, enzimas, nutracêuticos e a facilidade como são absorvidos pelo organismo.
Os germinados possuem a maior quantidade de nutrientes por unidade de consumo do que qualquer alimento, conhecido pelo homem. Muitas sementes germinadas (https://www.brotofacil.com.br/sementes/)como as de alfafa girassol contêm todos os aminoácidos essenciais em seu “estado livre“, o que significa que mais nutrientes alcançam as células com menos comida.
Brotação aumenta o teor de vitamina de uma semente de forma exponencial. O valor de vitamina C do trigo aumenta 600% no período de brotação. Brotos contêm mais vitamina C do que laranjas. A germinação aumenta as vitaminas B2 (riboflavina), B5 e B6. Ela também pode liberar antioxidantes armazenados nas paredes celulares, aumentar a biodisponibilidade dos minerais fósforo, cálcio, ferro e magnésio amarrados em fitatos, e aumentar os níveis de aminoácidos e proteínas em 50 por cento, enquanto diminui as gorduras e carboidratos em até 25 por cento.
A semente é uma estrutura presente nos vegetais superiores que garante a continuidade da espécie, facilita sua dispersão, nutri e protege o embrião até que elas encontrem as condições ideais para que aconteça a germinação.
A divisão da semente que originará uma nova planta é formada basicamente por: a casca ou tegumento é responsável por proteger o embrião e secretar substâncias como: hormônios e substâncias anti-nutricionais (ácido fítico, inibidores de tripsina etc.); o albume é a reserva nutritiva da semente, rico em açúcares, proteínas e gorduras; e o embrião dará origem a nova planta.
As sementes são acordadas assim que são embebidas na água que torna as membranas permeáveis, desativa os inibidores de crescimento (fitatos e inibidores de tripsina) e todo o sistema celular começa a funcionar. Alguns dos hormônios vegetais de crescimento, são fabricados na casca, começam a estimular a formação de novas células e tecidos. O DNA começa a ativar certos genes que caracterizam a planta em formação. O RNA mensageiro começa a transcrever as informações contidas nos genes e a transportar essa informação.  Esse processo vai desencadear a formação de proteínas, enzimas digestivas, enzimas de construção celular, hormônios, vitaminas e minerais. Também as mitocôndrias são ativadas e começam a produzir energia e todo o mecanismo celular está ativo.
A germinação, em suas características fisiológicas, corresponde a um processo prédigestivo onde as proteínas são decompostas em aminoácidos, os carboidratos complexos em açúcares simples, as gorduras em ácidos graxos e ainda há um momento da presença de minerais e outras substâncias como as enzimas, fito-hormônios e antibióticos naturais.
Ao comer uma semente germinada absorve-se uma quantidade enorme das enzimas da semente, e o alimento já está pré-digerido, poupando o nosso mecanismo enzimático, em vez de desgastá-lo.
Na germinação e brotamento (https://www.youtube.com/watch?v=dEaI_Ugv47I) o crescimento vegetal é intenso, a vitalidade, a clorofila, os hormônios, as enzimas, vitaminas e minerais, estão no máximo do desenvolvimento, uma explosão de energia que o corpo ganha, junto com os melhores repositores celulares, menor desgaste para digeri-lo, traduzindo em vitalidade, jovialidade e saúde. É o alimento mais fresco disponível, até a primeira mordida todos esses nutrientes ainda estão ativos.

Desenvolvido por Bruc Internet